Em termos técnicos, Coaching é um processo científico com resultados mensuráveis, acompanhado de um Plano de Ação estratégico focado no Cliente, para a realização de suas metas e desejos.
Vamos entender melhor esse conceito:

⦁ Metas e Desejos

Todo processo de Coaching tem um propósito só, que é auxiliar o Cliente a se capacitar para conquistar suas metas e desejos. As metas podem ser diversas, como equilíbrio financeiro; planejamento da aposentadoria; plano ou revisão de carreira; desenvolvimento de habilidades como relacionamento interpessoal, comunicação, resiliência, foco, procrastinação, gestão de tempo, capacitação em vendas; entre tantas outras.

⦁ Plano de Ação Estratégico

Toda meta precisa ser desenvolvida através de um plano de ação. A meta deve ser específica, com um verbo de ação focado no presente com vistas ao futuro. É fundamental entendermos a relevância da mesma, ou seja, por que é importante o desenvolvimento dessa meta para o Cliente. A relevância é a chave de partida para o sucesso. Em sequência; ela tem que ser temporal, quando começa e termina; onde a mesma será desenvolvida; existem mais pessoas envolvidas nesse processo; quais são os recursos necessários. Resumindo, o Plano de Ação é um passo-a-passo minucioso, para que se possa chegar ao alvo desejado. Com certeza, surgirão situações que poderão levar o Cliente a procrastinação ou até a desistência; o que um Plano bem elaborado deve prever e sugerir alternativas.

⦁ Processo Científico com Resultados Mensuráveis

Um processo de Coaching científico, deve prever meios de mensuração, ou seja, como estava o Cliente antes e   depois do processo. Algumas Instituições usam o ROI (retorno sobre o investimento) como referencial. De acordo  com o ICF (Federação Internacional de Coaching) um Colaborador que passou pelo processo de Coaching melhora  em até 70% a sua produtividade; em até 80% a autoconfiança e em até 86% o ROI – que é o resultado do  aprendizado observado na performance diária.                                                                                                                Essas informações estão disponíveis no site da ICF (www.icfbrasil.org)

Muitas organizações se utilizam de um instrumento fácil e prático, que é chamado de avaliação 360º. Trata-se de uma avaliação feita por superiores, pares e subordinados. O mesmo deve ser realizado antes e após o processo, o que permite claramente a mensuração do progresso.
A bem da verdade, procura-se por resultados facilmente percebidos, independentemente do instrumento de avaliação utilizado.